Buscar

A Influência de SOPHIE e do Hyperpop na música brasileira

SOPHIE, artista, produtora musical e uma das grandes expoentes do Hyperpop faleceu na madrugada do último sábado. Apesar de nem sempre estar à frente dos holofotes, sua influência na música e na cultura pop é imensurável e seu legado permanece vivo, até na música brasileira.

A artista iniciou sua carreira no início dos anos 2010 e compôs e produziu ao lado de artistas como Madonna, Vince Staples, Charli XCX, Kim Petras, . Sua sonoridade influenciou sons de diversos artistas de hoje, como Dorian Electra, 100 gecs, Rina Sawayama e inclusive artistas brasileiros! SOPHIE também foi uma das grandes produtores por trás do surgimento do Hyperpop, considerado um gênero musical em 2018.


O ritmo é um microgênero musical surgido da junção de ritmos eletrônicos e de pop e com a criação do selo da PC Music. O gênero é fortemente caracterizado por uma abordagem maximalista da música pop, com forte influência da música eletrônica, trance, emo e eletropop. O Hyperpop ganhou o mainstream em 2019, com a playlist Hyperpop, do Spotify que acompanhou a viralização do duo 100 gecs e os lançamentos dos artistas do selo PC Music. Além dos artistas já citados, o trabalho de SOPHIE impactou e influenciou até a música brasileira. No Brasil, Pabllo Vittar é um dos grandes nomes que bebem da fonte do Hyperpop e das influências de SOPHIE. O álbum “Não Para Não” mistura a sonoridade do gênero com ritmos brasileiros e o Brega. Já no “111”, faixas como Flash Pose sintetizam bem o som do Hyperpop.


Linn da Quebrada também produz um som que tem fortes influências do hyperpop, em destaque especial para suas parcerias com a DJ Badsista, como Mate & Morra e Quem Soul Eu.

Jup do Bairro é mais uma artista com músicas com forte produção eletrônica e batidas marcantes, como pede o gênero, dentre elas: Bixa Preta pt. 2 e O CORRE (Bixurdia Remix).


Urias também produz uma “quebradeira” que é bastante influenciada pelo ritmo, com fortes batidas eletrônicas e sons metálicos. “Rasga” e “Racha” são duas faixas da cantora em que são notáveis essas influências.


Na produção musical, Badsista e Maffalda são alguns produtorxs e DJs brasileiros responsáveis por algumas das produções já citadas com fortes influências do Hyperpop.